Festas

 
Música Paraver Maria Sambar
Bossa Negra

Fazendo Festa como Política e como Medicina!

Reunir pessoas usando a música como amálgama principal não deve ser confundido com mero entretenimento. Das artes todas que vivenciamos, nenhuma pode mexer com nossa sensibilidade de maneira tão seminal quanto mexe a arte de organizar e desorganizar sons, quanto mexe a arte da música.

Trazer isto para o convívio festivo, como motor principal das relações e da construção de um espaço comum, naturalmente político, é algo muito sério e muito fundo, que não pode ser confundido com um oba oba qualquer, e que precisa ser manuseado com cuidado e com entrega. Festa é rito, não é mero desbunde. Festa é transmutar coágulos em danças, dores em cantos, opressões em catarses. Festa é política. Festa é medicina.

Festejemos!

NERVOSA!
Vixe!
 

 
 
previous next
X